segunda-feira, 1 de março de 2010

Não se tripudia em time grande



O Guarany/S foi o melhor time do primeiro turno. Volta para casa invicto, mas sem a taça. Na final, esteve próximo de fazer história a seu favor, goleando o grande, o tricampeão Fortaleza. Os 4 a 1 poderiam ter sido transformados em 5, 6, tamanha era a facilidade naquele momento, mas foi aí que tudo começou a mudar.

De derrotado, o Fortaleza viu-se, ainda em campo, humilhado. E não se pode subestimar os brios de um clube do tamanho do Fortaleza. Desorganizadamente, os tricolores foram para cima com o coração. O gol de Guto manteve a chama da esperança acessa, mas restavam 13 minutos de jogo apenas.

Um minuto depois, Rinaldo marca e o que era sonho torna-se plausível. Na arquibancada, a torcida do bugre, que comemorava, fica apreensiva. Na torcida tricolor, boa parte que já havia deixado o estádio, volta, com vontade em dobro de empurrar o time: “Eu acredito!”, gritavam.

Rinaldo iguala o jogo, num lance que deixa claro o porque dele ter mais de 100 gols com a camisa do clube. Apoteose tricolor no Castelão.

Antes do fim, a zaga bugrina ainda tiraria uma bola em cima da linha, no que poderia ter sido a virada tricolor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário