domingo, 16 de maio de 2010

Jucás implanta programa inédito de gestão escolarJucás implanta programa inédito de gestão escolar


Jucás. Este município, localizado no Centro-Sul do Ceará, está vivenciando uma experiência inédita no Ceará. As escolas da rede municipal ganharam autonomia financeira, administrativa e pedagógica. O núcleo gestor e o Conselho Escolar gerenciam os recursos para pagamento de professores, servidores, aquisição de materiais diversos, consertos e manutenção. O projeto tem por objetivo democratizar, valorizar e desenvolver o setor educacional.

O processo de descentralização começou em janeiro de 2009, a partir da aprovação de uma lei municipal que assegurou o repasse de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). "A ideia nasceu de uma decisão política do prefeito Helânio Facundo, após a eleição de outubro de 2008", explicou a secretária de Educação do Município, Nildes Alencar Lima.

Uma equipe de assessoria em Educação foi convidada a estudar e elaborar uma proposta. O prefeito não perdeu tempo e logo no primeiro mês implantou o projeto de descentralização da gestão escolar. "Houve uma capacitação para os gestores na área contábil", disse Nildes Alencar. "O objetivo foi orientar sobre a correta prestação de contas".

Avaliação

Um ano e cinco meses após a implantação do projeto de descentralização da gestão escolar, a avaliação de professores, diretores e da equipe técnica da Secretaria de Educação é de que o desafio foi vencido e a ideia deu certo. "Se chove no terreno fértil da escola, teremos bons frutos", comparou a secretária Nildes Alencar. "Com certeza, teremos uma boa safra".

A secretária de Educação estima que em um prazo de três anos, os resultados vão aparecer. "Educação não é milagre, mas é resultado de um processo de trabalho", observou Nildes Alencar. "Alguns resultados já foram colhidos e observados de melhoria nas unidades escolares". A assessora Vera Cecília Santos observa que o primeiro passo para assegurar a implantação do projeto foi a nucleação das escolas, isto é, a eliminação de unidades isoladas e transferência de alunos para unidades maiores, de melhor infraestrutura na sede de distritos.

De um total de 45 escolas que funcionavam na sede e na zona rural, ficaram 16. "Isso foi uma medida importante", frisou Vera. Salas de multisseriado, onde alunos de séries diversas estudam juntos, também foram eliminadas. No Distrito de Jurema, foi construída uma ampla unidade e no Distrito de Mel, duas escolas. Outras medidas administrativas foram adotadas. Entre as quais, a melhoria do transporte escolar.

A secretária Nildes Alencar observa que desde a primeira gestão do prefeito Helânio Facundo, a partir de 1997, houve investimentos para a melhoria do setor educacional.

O Município de Jucás apresenta uma característica de participar ativamente de programas educacionais do Estado e do Governo Federal. "São quatro gestões na mesma linha, valorizando a Educação", disse Nildes Alencar. "Agora, podemos avançar mais ainda".

Nas escolas, o clima é de otimismo e de aprovação do projeto. "Avalio que essa descentralização é um grande desafio de aprendizagem para nós educadores", disse a diretora administrativa do Centro de Educação Professora Antonieta Cals, Marluce Lucas Palácio. "Quanto mais a gestão for debatida com a comunidade e o Conselho Escolar cumprir com o seu papel, teremos resultados positivos".

Autonomia

O diretor administrativo do Centro de Educação de Jucás, Alciomar Duarte, disse que o projeto de descentralização significou uma mudança brusca, que deu ampla autonomia às escolas. "A gestão só tem melhorado e o projeto facilita a tomada de decisões, que passaram a ser coletivas". Antes, para o conserto em instalações elétricas, hidráulicas e aquisição de material, era necessário apresentar lista e encaminhar ofício para a Secretaria de Educação. Agora, as escolas têm autonomia de resolver os seus problemas e priorizar a aplicação dos recursos.

O prefeito de Jucás, Helânio Facundo, disse que o projeto faz parte das ações de políticas públicas de descentralização administrativa e financeira. "A experiência mostra que a ideia deu certo", disse. "A nossa avaliação é positiva". Ele frisou que o programa tem base legal para assegurar em sua continuidade em gestões futuras. "Houve uma conquista de cidadania, a comunidade participa das decisões da escola e vê que a Educação melhorou", disse. "Qual prefeito terá coragem de revogar uma lei dessas?. Para mim, é uma conquista que não tem volta".

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Nem PT, nem PSDB. O grande inimigo é o PMDB

Por: Andre Balocco

Há um cancro na política brasileira que poucos se dão conta - e quem dele participa não pode posar de bonzinho. O nome deste cancro é Partido do Movimento Democrático Brasuileiro, ou PMDB. Esta sigla, que no passado representou a luta contra o autoritarismo que torturava e calava a oposição, infelizmente se transformou no esteio do que há de pior no sistema partidário nacional. Haja o que houver, o PMDB estará no governo - seja ele do PT, do PSDB, do DEM ou até mesmo do PC do B. O adesismo de seus membros chega a ser inacreditável.

Enquanto PT e PSDB, dois partidos que, meno male, têm nomes honrados da nossa política, se digladiam pela hegemonia política nacional, o PMDB senta-se no trono, majestoso, e negocia. Haja o que houver, aconteça o que aconteçar, ganhe quem ganhar, ataque-se quem se atacar, aposto todas as minhas fichas que em 2011 o PMDB terá ministérios e cargos no governo - seja ele Dilma Roussef, seja ele José Serra. Até mesmo a simpática verde Marina Silva será refém dele.

Partido sem a menor identidade ideológica - ao contrário do seu passado glorioso - serve como receptor de políticos (?) de vários matizes, desde Orestes Quércia e o MR-8 (grupo guerrilheiro nos anos 60) até Pedro Simon, aquele que fez voto de pobreza mas antes doou seu patrimônio a parentes. Tem ainda Jáder Barbalho (argh!), José Sarney (....), Jorge Picciani e...bem, deixa pra lá. Monte você o seu top 10 do PMDB. Enfim, é um partido que serve para abrigar políticos personalistas que perdem espaço em suas agremiações de origem - casos de Sérgio Cabral (ex-PSDB), Paes (ex-PSDB), Garotinho (PDT, PMDB e agora num partideco) e Cesar Maia (PTB, PMDB e hoje DEM). Há outros menos cotados como Paulo Duque, senador (é brincadeira!) pelo Rio.

Enfim, a elite, nós, nos digladiamos, acusando o PSDB e o PT de isso e de aquilo, e esquecemos que o inimigo comum, que o grande responsável por esta balbúrdia partidária, o verdadeiro procrastinador, aquele que mantém o status quo político, aquele que impede a evolução natural da política brasileira, é o PMDB.

Então, queridos, um sugestão:

NÃO VOTEM NO PMDB!

terça-feira, 11 de maio de 2010

SEGURO SAFRA: DIVULGADA LISTA COM 92 MUNICÍPIOS INADIMPLENTES COM PROGRAMA


Por: Márcio Dornelles

A inadimplência de 92 municípios junto ao programa Seguro Safra, mais da metade do número de adeptos, 172, preocupa agricultores e famílias no interior cearense, que já sofrem com a “seca verde”. A Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) anunciou, na última semana, que o repasse de recursos aos homens do campo que perderam mais de 50% da plantação pode ficar prejudicado diante da omissão de prefeituras.

O prazo dado pela pasta para regularização da situação vai até o dia 15 de maio, próximo sábado. Ao contrário dos municípios, os cerca de 290 mil agricultores já pagaram a sua parte até o dia 15 de janeiro. Já os débitos dos prefeitos foram parcelados entre 15 de fevereiro e 15 de junho, mas a arrecadação tem sido pequena. Em entrevista ao Alerta Geral na última quinta-feira (6), o titular da SDA, Antônio Amorim, informou que “o grande problema é cumprir com as parcelas de contribuição, que é obrigação dos prefeitos dos 172 municípios que aderiram ao programa. (...) Para que possamos ter esse programa pronto para atender os agricultores”.

Confira, abaixo, a lista com o nome dos municípios que estão inadimplentes com o Seguro Safra:

1 - ACARAPE
2 - ACARAÚ
3 - AIUABA
4 - ALCANTARAS
5 - ALTO SANTO
6 - AMONTADA
7 - ARACOIABA
8 - ARARENDÁ
9 - ARARIPE
10 - ASSARÉ
11 - BARRO
12 - BARRUQUINHA
13 - BEBERIBE
14 - CAMPOS SALES
15 - CANINDÉ
16 - CARIDADE
17 - CARNAUBAL
18 - CASCAVEL
19 - CATARINA
20 - CAUCAIA
21 - CEDRO
22 - CHAVAL
23 - CHORÓ
24 - CROATÁ
25 - DEP. IRAPUAN PINHEIRO
26 - ERERE
27 - FORQUILHA
28 - FORTIM
29 - GENERAL SAMPAIO
30 - GRAÇA
31 - GRANJEIRO
32 - GUAIUBA
33 - HIDROLÂNDIA
34 - IBARETAMA
35 - IBICUITINGA
36 - ICAPUI
37 - IGUATU (regularizado)
38 - IPAPORANGA
39 - IPU
40 - IRACEMA
41 - IRAUÇUBA
42 - ITAIÇABA
43 - ITAITINGA
44 - ITATIRA
45 - JAGUARETAMA
46 - JAGUARIBARA
47 - JAGUARUANA
48 - JUAZEIRO DO NORTE
49 - LAVRAS DA MANGABEIRA
50 - MADALENA
51 - MARCO
52 - MAURITI
53 - MILHÃ
54 - MOMBAÇA
55 - MONSENHOR TABOSA
56 - MORAÚJO
57 - MORRINHOS
58 - MUCAMBO
59 - NOVA RUSSAS
60 - NOVO ORIENTE
61 - OCARA
62 - PACAJUS
63 - PACUJÁ
64 - PALHANO
65 - PARACURU
66 - PARAMOTI
67 - PEDRA BRANCA
68 - PIRES FERREIRA
69 - PORANGA
70 - POTENGI
71 - POTIRETAMA
72 - QUITERIANÓPOLIS
73 - QUIXADÁ
74 - QUIXELÔ
75 - QUIXERAMOBIM
76 - RUSSAS
77 - S. GONÇALO DO AMARANTE
78 - SANTA QUITÉRIA
79 - SANTANA DO ACARAÚ
80 - SÃO BENEDITO
81 - SENADOR POMPEU
82 - SOBRAL
83 - SOLONÓPOLE
84 - TABULEIRO DO NORTE
85 - TAMBORIL
86 - TAUÁ
87 - TEJUÇUOCA
88 - TRAIRI
89 - UMIRIM
90 - URUBURETAMA
91 - URUOCA
92 - VÁRZEA ALEGRE

*A lista inicial, repassada pela assessoria de comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), apontava 92 municípios como irregulares. Depois de publicada notícia, um representante da Secretaria de Agricultura de Iguatu entrou em contato com o portal e informou que a cidade já estava em situação regular, quites com os pagamentos do Seguro Safra. A assessoria da pasta também confirmou a correção. O número de municípios inadimplentes agora é 91.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Frade Macho


Em 04 de agosto de 2009 o Ministério Público Federal de São Paulo ajuizou ação pedindo a retirada dos símbolos religiosas das repartições publicas.

Pois bem, veja o que diz o Frade Demetrius dos Santos Silva.
Fonte: FOLHA de SÃO PAULO, de 09/08/2009

“Sou Padre católico e concordo plenamente com o Ministério Público de São Paulo, por querer retirar os símbolos religiosos das repartições públicas… Nosso Estado é laico e não deve favorecer esta ou aquela religião. A Cruz deve ser retirada!

Aliás, nunca gostei de ver a Cruz em Tribunais, onde os pobres têm menos direitos que os ricos e onde sentenças são barganhadas, vendidas e compradas;

Não quero mais ver a Cruz nas Câmaras legislativas, onde a corrupção é a moeda mais forte;
Não quero ver, também, a Cruz em delegacias, cadeias e quartéis, onde os pequenos são constrangidos e torturados;
Não quero ver, muito menos, a Cruz em prontos-socorros e hospitais, onde pessoas pobres morrem sem atendimento;
É preciso retirar a Cruz das repartições públicas, porque Cristo não abençoa a sórdida política brasileira, causa das desgraças; das misérias e sofrimentos dos pequenos; dos pobres e dos menos favorecidos”.

Frade Demetrius dos Santos Silva * São Paulo/SP

segunda-feira, 3 de maio de 2010

A vitória da superação FORTALEZA É TETRA CAMPEÃO




Como num filme de drama, mas com final feliz, Fortaleza desbanca o maior rival e conquista o tetra nos pênaltis Desacreditado, humilhado, sem dinheiro, sem treinador e sem elenco. Se não bastasse, ainda com o maior rival na elite do futebol nacional e apontado como o principal favorito ao título. O início de ano para o Fortaleza parecia mais um pesadelo do que o sonho de conquistar o seu troféu mais cobiçado em mais de 90 anos de fundação. O que parecia a história de um drama tricolor foi se transformando aos poucos em algo realmente de cinema. As três primeiras rodadas do Estadual sem vitórias e ainda por cima com uma goleada sofrida por 4 a 0 do desconhecido Crato, só aumentavam a desconfiança da torcida leonina. Porém, com a chegada dos jogos ao caldeirão do Pici (Estádio Alcides Santos), o Fortaleza ressurgiu e arrancou para a conquista do 1º turno. Conquista essa de maneira digna de um filme épico e arrebatador. Depois de estar perdendo por 4 a 1 para o Guarany (S), empatou e venceu nos pênaltis. Depois, no returno, a acomodação provocou a saída do treinador e a eliminação das semifinais. Com a contratação, do algoz de 2006, o técnico Zé Teodoro, e a decisão do campeonato contra o arqui-inimigo, a revanche de quatro anos atrás não deixava dúvida de que era para abalar o coração da galera tricolor, e o roteiro de um filme que parecia ter um final feliz. No primeiro jogo, a vitória veio numa atuação marcante de todo o grupo, com o ídolo Paulo Isidoro assinalando o gol. Na finalíssima, o revés no tempo normal, mas o "Oscar" tinha de surgir como foi o da Seleção Brasileira, em 1994, nos pênaltis e com o famoso grito: é tetra, é tetra, é tetra!