segunda-feira, 26 de julho de 2010

Chávez pode cortar venda de petróleo aos EUA

CARACAS - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ameaçou cortar o envio de petróleo aos Estados Unidos caso apoiem a Colômbia numa possível agressão armada contra o seu país.

– Avaliando informações de inteligência, a possibilidade de uma agressão armada contra território venezuelano tem uma probabilidade como nunca teve nesses anos – declarou Chávez.

Em discurso para milhares de pessoas na capital venezuelana, o presidente venezuelano disse que o governo americano seria o culpado, caso soldados colombianos viessem a invadir o seu país, argumentando que a Colômbia perdeu a soberania sobre seu próprio território. Embora Chávez seja um firme opositor de Washington na região, o petróleo venezuelano sustenta a economia nacional, representando 80% do PIB do país.

Mais de 50% do petróleo destinam-se às refinarias da PDVSA, instaladas dentro do território americano.

– O petróleo, não nos faltará quem compre – afirmou. – E, se não comprarem, o que importa? Estamos dispostos a defender a dignidade de nossa pátria, custe o que custar – declarou, ao ser ovacionado pela multidão, que o apoia.

Segundo o Departamento de Energia dos Estados Unidos, a Venezuela é o quinto maior fornecedor do produto, exportando 894 mil barris por dia, o que representa 13% do total do petróleo importado.

Segundo analistas, o corte de exportações de petróleo para os Estados Unidos prejudica ainda mais a empobrecida economia venezuelana, que depende da venda deste produto para custear os programas sociais, implantados por Hugo Chávez.

Já os Estados Unidos, terão de desembolsar mais dinheiros para importar petróleo de outras regiões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário