quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Armas usadas em crime pertenciam à Cearamor



Um adolescente confessou que apanhou as armas com o gerente da loja da torcida organizada do Ceará

O depoimento de um adolescente de 17 anos, apreendido por inspetores do 34º DP (Centro), com uma pistola calibre 765, na manhã de ontem, no bairro Piedade, revelou que as armas encontradas, na tarde do último sábado, na sede da Torcida Organizada do Ceará (Cearamor) foram fornecidas pelo diretor da torcida, Luís André Silva de Oliveira, 25, para a prática de assaltos e roubos de carros.

Com a apreensão do garoto, o delegado Aurélio Araújo, titular do 34º DP, acredita que o caso foi praticamente esclarecido. "Não resta dúvida de que as armas pertencem a Cearamor. Temos também a convicção de que o veículo roubado teve as placas substituídas por outras ´frias´, no interior da sede da organizada. Só estamos buscando a origem da droga encontrada no local", salientou Aurélio.

De acordo com o delegado, o adolescente negou ter conhecido sobre a cocaína e a maconha apreendidas na sede da torcida organizada. O adolescente revelou que, enquanto esteve na carceragem do 34º DP, foi incentivado por Luís André a assumir a propriedade da droga. "André teria dito para ele, diz que a droga é tua, diz que a droga é tua, mas ele negou ser o dono do material apreendido".

Vigilância

Aurélio Araújo ressaltou o trabalho da equipe de inspetores da distrital durante a madrugada e a manhã de ontem com o objetivo de localizar o suspeito. "Eles (policiais) permaneceram quase oito horas em vigilância nas proximidades da residência do adolescente e, por volta das 11 horas, realizaram a detenção dele com uma pistola".

O jovem disse ter recebido das mãos de Luis André, os três revólveres, um dia antes do roubo do veículo. Contou ao delegado que, no dia seguinte (sábado), se encontrou com os comparsas Romário Oliveira de Sousa e Francisco Gilmário do Nascimento, no Terminal do Papicu. Segundo o depoimento, armados com revólveres e pistola, eles pegaram um ônibus e resolveram praticar um assalto. No cruzamento das ruas João Cordeiro e Joaquim Torres, no bairro Joaquim Távora, roubaram o Gol prata.

Após o assalto, seguiram direto para o prédio da torcida organizada, situado na Avenida João Pessoa. O trio deixou o carro estacionado do lado de fora e entregou as chaves do veículo e as armas para Luís André. "Dissemos para o André. Taí um carro que nós roubamos". Conforme o adolescente, André teria retrucado: "Vocês fizeram um assalto com as minhas armas e cadê o dinheiro"? Por esse motivo, os três teriam ficado com cerca de R$ 50,00, roubados das vítimas, deixando com André, os celulares e o automóvel tomado da vítima.

Além do adolescente, Gilmário também foi conduzido à delegacia. Ele prestou depoimento e negou participação no assalto. Gilmário foi liberado após seu interrogatório por não ter sido detido em situação de flagrante e não haver mandado de prisão expedido contra ele. O outro acusado, Romário deverá se apresentar hoje no 34º DP.

Presidente

Contudo, segundo o delegado Aurélio Araújo, ambos foram reconhecidos pelas vítimas como duas das três pessoas que praticaram o assalto. O inquérito gerado pelo flagrante de Luís André já foi comunicado à Primeira Vara de Delitos e Tráfico de Substâncias Entorpecentes da Comarca de Fortaleza.

Ainda esta semana, o titular do 34º DP pretende tomar o depoimento do presidente da torcida Cearamor, Jeysivan Carlos dos Santos.

EMERSON RODRIGUES
REPÓRTER

Nenhum comentário:

Postar um comentário