domingo, 1 de agosto de 2010

Fidel Castro diz que EUA devem soltar agentes cubanos

HAVANA - O ex-presidente cubano Fidel Castro rejeitou nesta sexta-feira a pressão dos Estados Unidos para que Cuba liberte um empresário acusado de espionagem na Ilha, e exigiu que Washington solte cinco agentes cubanos presos nos EUA, como fez com uma dezena de russos.

Em entrevista a TV cubana, Fidel revelou que "estão pressionando" para obter a libertação "daquele que espionava", em referência ao empresário Alan Gross, preso em Cuba em dezembro passado.

Enquanto isto, as autoridades americanas mantêm "injustamente" na prisão cinco agentes cubanos nos Estados Unidos desde 1998, condenados por espionagem em 2001.

"O ilustre presidente dos Estados Unidos (...) poderia tê-los libertado, como fez com um montão de gente que se dizia espião russo", estimou Castro em um encontro com jovens comunistas.

Fidel qualificou de "tortura" a manutenção de Gerardo Hernández, um dos cinco agentes cubanos, em um "buraco" (prisão) nos Estados Unidos, mesmo estando doente, porque "contraiu uma bactéria na prisão".

Alan Gross, acusado de espionagem pelo governo em Havana, foi preso quando estava em Cuba vendendo celulares e computadores portáteis a grupos judeus, a serviço de uma empresa contratada pelo departamento de Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário