quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

A LOROTA, POLITICO E SERVIDOR


O senhor ou a senhora, conhece um neto ou uma neta, um filho ou uma filha, de algum Governador, ou Deputado, ou Senador da Republica, que esteja cursando o Ensino Fundamental ou Médio, em alguma das muitas Escolas Publicas, que existem, por este Brasil afora ?

O senhor ou a senhora, tem esbarrado, em algum politico dentro do Metrô, ou do onibus coletivo da sua Cidade ou mesmo em seu Estado ?
Sim, aquele busão que trafega com as portas abertas, com os bancos quebrados, com as janelas despedaçadas, que " sarta" mais que cabrito novo no " cio ", e destila fumaça aos deus dará, e circula mais empanturrado, que sardinha enlatada ?

O senhor ou a senhora, tem encontrado nas filas do Banco do Brasil ou mesmo da Caixa Economica Federal, com essa gente, pagando as contas de luz, de água, de telefones, com as senhas em mãos, esperando a vez no atendimento ?

O senhor ou a senhora, tem " papeado" com essa gente nas filas dos aeroportos, esperando pelo voo Comercial ?

Se para estas arguições, a resposta for negativa, confesso que estarei mais uma vez estarrecido. Afinal, o que tenho lido dos políticos, é que a prestação do serviço publico, é uma maravilha.
Quando esse pessoal apresentam-se como candidatos a qualquer coisa, é mote eles vomitarem que estudaram em Escolas Publica. Se tudo o que falam são verdadeiro, por que então, os políticos colocam os seus descendentes todos, na Escola Privada ?

A verdade verdadeira, é que os profissionais da politica, querem distancia da prestação do serviço publico, exceto aquela que lhe carrega os bolsos e a vaidade de mordomias. Como por exemplo " lamber " o dinheiro publico, que lhes agraciamos através dos impostos, e com este lambuzam-se todo.
Com o erário publico, o zelo é de uma irresponsabilidade tamanha, e para isso não falta os mais inusitados lugares para ser conduzido : na cueca, nas meias, nos órgãos genitais, por que o que interessa é o dinheiro, e o resto é apenas um detalhe.

Sai politico, entra politico, e a bandalheira a cada dia ganha outras versões. Por que ao mudar os artistas, é natural que mudem-se, os roteiristas. Mas, não podemos esquecer que somos nós que mandamos essa choldra, para Brasília, para o Palácio dos Bandeirantes, para o Palácio dos Leões e, tantos outros recantos dos Estados e dos Municípios, legalizando essa gente através do voto para nos representar. Mas também, há de convirmos, que essa gente pensa muito pouco no bem comum. Para eles o Social Coletivo, é apenas uma questão de sobrevivencia.

Senão vejamos este exemplo.

Não soa como desfaçatez, o sr. José Sarney, imaginando está falando aos seus marimbondos de fogo, arrotar que está fazendo um sacrifício, em presidir o Senado Federal ? Ora, o Estado natal desse senhor, é o mais pobre, o mais necessitado, o mais carente, para não escrever um dos mais miseráveis da Federação.

Alguém em sã consciência, pode acreditar que aquele senhor aos 81 anos de idade, está ali somente por: amor e, amor e amor ? A sua expressão traduz a fina zombaria, um zombeteiro, um descredito contra a inteligencia do povo brasileiro.
Essa empáfia de alguns políticos, precisa chegar a um fim, e esses tem que postar-se como servidores de um ESTADO e, não vice e versa.

Deveria ser Constitucional, toda a joldra politica, fazer uso do Serviçal publico ( Escolas, Transportes, Hospitais, etc. etc ) Só assim, eles saboreariam do mesmo paladar que desfruta a patuleia, e descobririam o Brasil real.

Mas, tenhamos certeza, o mundo deles é um outro, e o prazo é, até eu e o senhor ou a senhora, perceber que escolher alguém para nos representar, é mais que um ato de responsabilidade, mas de Cidadania, logo deve ser exercido com cuidado para não confundir o Congresso, com deposito de anárquicos. Se bem que, as palavras Congresso e Cadeira, tem em comum a iniciação com a letra cê. Ainda assim não podemos confundir, os lados

Nenhum comentário:

Postar um comentário