quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Enem 2011: MEC decide anular as provas de todos os estudantes do Colégio Christus, de Fortaleza, acusado de vazar questões do exame

RIO e FORTALEZA - O Ministério da Educação (MEC) decidiu, nesta quarta-feira, anular as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2011 dos 639 alunos Colégio Christo, de Fortaleza, no Ceará. Segundo o assessor especial do ministro Fernando Haddad, Nunzio Briguglio Filho, não houve vazamento do exame, mas sim a antecipação de algumas questões. A Polícia Federal já foi acionada para esclarecer como isso ocorreu. Os candidatos da instituição, entretanto, poderão refazer a prova.

- Estamos preparados para, no limite, cancelar a prova dos 639 do Christus, oferecer para eles a oportunidade de refazer a prova junto com os presídios e processar o dono da escola. As questões foram antecipadas. Não há como negar isso. A prova não vazou. Mas houve vazamento das questões para os alunos do Colégio Christus, o que é diferente. Como eles chegaram a isso é o mistério - afirma Filho.

Em uma série de mensagens na rede social Twitter, a estudante Quésia Cataldo (@Quesic) deu a entender que a escola também vazou o tema da redação. Num post, ela disse: "valeu @colegiochristus pelo apoio e pela preparação. acertamos a redação e várias questões! =)". Ela ainda falou de perguntas "compradas".

FOTOGALERIA:veja algumas das questões vazadas que foram parar na internet

PROVA:professores avaliam que exame exigiu mais conteúdos específicos

GABARITO:Confira aqui as respostas oficiais das provas

Mais cedo, o Ministério Público Federal do Ceará (MPF/CE) disse que vai encaminhar ao Ministério da Educação uma recomendação para anulação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2011 em todo o país. Após ser acionado por estudantes que fizeram a prova, o procurador da República Oscar Costa Filho constatou a existência de 13 questões idênticas a de um simulado aplicado por um colégio de Fortaleza antes do Enem. As questões eram as seguintes: 32, 33, 34, 46, 50, 57, 74, 87, 113, 141, 154, 173 e 180 (caderno amarelo).

De acordo com o procurador, já está configurado o vazamento das provas. O MPF afirma ainda que considera importante a investigação da Polícia Federal para apurar os responsáveis, mas entende que a situação exige uma atitude do MEC, pois o problema não é pontual.

- Não há como isolar o Ceará e garantir que as questões não vazaram para alunos de outros estados - afirmou Costa Filho.

Não há como isolar o Ceará e garantir que as questões não vazaram para alunos de outros estados

Segundo o diretor Davi Rocha, do Colégio Christus, em Fortaleza, todas as questões passadas aos alunos da escola na sexta-feira, véspera do Enem 2011, saíram de um banco de dados da instituição de ensino no Ceará. Ele disse que esse banco é alimentado por alunos, professores, ex-alunos, fóruns de discussão e simulados do Christus. De acordo com Rocha, oito dessas questões são semelhantes a questões que caíram na prova do Enem e seis delas são absolutamente idênticas. O diretor afirma que não sabe como as perguntas do exame de 2011 foram parar no banco de dados, mas que tudo será rastreado.

- São oito questões semelhantes e seis questões idênticas. A escola não sabe como foram parar no aulão de sexta-feira, pois o banco de dados da escola é alimentado por alunos e ex-alunos que não se identificam. Mas vamos fazer o rastreamento de tudo - garante Davi Rocha.

O diretor do colégio também comentou sobre as supeitas de vazamento do tema da redação, "Viver em rede no século XXI". Uma aluna do Christus escreveu no Twitter que a escola "acertou" também o tema da redação.

- O tema foi abordado pela escola mais de quatro vezes durante o ano. Era um tema até previsível e outras escolas também o abordaram.

Em nota, a escola afirmou haver evidências de que as questões foram alvo de pré-testes entre 2009 e 2011. O pré-teste é realizado de maneira aleatória em vários colégios de forma a determinar os pesos que serão atribuídos a cada pergunta (fácil, médio e difícil), de acordo com a Teoria da Resposta ao Item (TRI). Assim, "existe a possibilidade de que essas questões caiam no domínio público antes da realização oficial do exame, as quais eventualmente podem compor o banco de dados de professores e de outros profissionais da área de educação", diz o texto. Os pré-testes ocorrem ao longo de todo ano. A Polícia Federal investiga a informação de que um funcionário do colégio teria subornado um fiscal que aplicou o pré-teste na escola e copiado as provas.

Desde a noite da última terça-feira, circulam nas redes sociais Facebook e Twitter fotos do simulado que teria sido aplicado pelo Colégio Christus na véspera do exame nacional. O Christus é uma das escolas mais tradicionais na cidade, onde possui dez unidades. No ranking do Enem 2010, o colégio apareceu como o 5º melhor do Ceará. A reportagem de O GLOBO encontrou a reprodução de sete enunciados e todos eram iguais aos das provas feitas no fim de semana.

Histórico de problemas atinge o exame

Desde 2009, quando o Enem passou a substituir o vestibular e servir como prova de acesso à graduação em diversas universidades federais em todo o Brasil, o exame foi marcado por uma sucessão de problemas.

Naquele ano, houve o furto de uma das provas e o vazamento de seu conteúdo às vésperas de sua aplicação. O exame foi adiado em dois meses, e os problemas não pararam por aí. Candidatos também tiveram o local de prova alterado, e houve confusão no dia em que a prova foi aplicada em diversos pontos do país. Em Niterói, um grupo de estudantes não conseguiu chegar ao local de prova a tempo, pois havia dois prédios diferentes da Estácio de Sá com o mesmo endereço. Para completar, os gabaritos foram divulgados com erro.

Caso as provas sejam reaplicadas apenas para os 639 alunos do Colégio Christos, essa não seria a primeira vez. No ano passado, cerca de dois mil candidatos precisaram refazer uma parte do Enem devido a problemas de impressão no caderno de questões de cor amarela. Eles o refizeram quando a prova foi aplicada para os presidiários. Em 2009, o mesmo ocorreu no Espírito Santo, quando fortes chuvas atingiram o estado e impossibilitaram a realização do exame.

Isso só é possível sem ferir a isonomia do concurso porque desde 2009 é utilizada a Teoria da Resposta ao Item (TRI) no cálculo da pontuação final. Pela TRI, as questões são divididas em três categorias, fácil, médio e difícil, e possuem pesos diferentes. A introdução desta metodologia, já utilizada em diversas avaliações de larga escala, como SAT americano, permite a comparação de resultados dos candidatos, mesmo que não tenham respondido às mesmas perguntas.


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário