terça-feira, 2 de abril de 2013

Luizianne defende candidatura do PT para a sucessão de Cid Gomes




A ex-prefeita Luizianne Lins, presidente do PT cearense, defendeu ontem que seu partido tenha candidatura própria ao Governo do Estado em 2014. Contudo, ressaltou, a estratégia petista para a sucessão de Cid Gomes (PSB) dependerá dos próximos passos do governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos.
No caso de Campos lançar-se candidato à sucessão da presidente Dilma Rousseff (PT) no ano que vem - articulações nesse sentido não são mais um segredo -, o PT poderá ainda apoiar um nome do PMDB ao Governo do Ceará. Tudo pela unidade governista no Estado. O senador Eunício Oliveira, presidente estadual do PMDB, tem trabalhado para chegar ao Palácio da Abolição.
“Se ele (Campos) sair candidato (a presidente da República), vamos ter que viabilizar o palanque para a Dilma no Ceará, e aí tem a possibilidade de o PT sair com o PMDB ou sair só”, disse Luizianne ontem à noite, antes de liderar reunião da executiva estadual do PT .
Por ora, só uma coisa é certa, conforme Luizianne: todos os movimentos do PT obedecerão ao interesse da reeleição de Dilma. “Defendo a candidatura própria, mas sou disciplinada. O projeto nacional vai movimentar todas as outras peças. Estamos aguardando, mas não vamos ficar desarmados”.
Em entrevista recente ao jornal Valor Econômico, o ex-presidente Lula declarou que o PT deve privilegiar a reeleição de Dilma Rousseff, e que, por isto, o partido pode abrir mão de candidatos próprios a governador para apoiar nomes do PMDB.
Na defesa da candidatura petista, Luizianne voltou a criticar a gestão do ex-aliado Cid Gomes. “Acho o governo do Estado um desastre em todos os sentidos. Estamos vivendo a barbárie da violência em Fortaleza”.
No último dia 9, o diretório estadual do PT aprovou resolução que reafirma a aliança com o governo Cid, “respeitando-se as realidades municipais”, em vista do projeto de reeleição de Dilma Rousseff.
Não obstante, Luizianne afirmou ontem que os deputados e vereadores petistas têm liberdade para questionar as ações de Cid e as de Roberto Cláudio (PSB) na Prefeitura, assim como os irmãos do governador faziam quando ela ocupava o Paço Municipal. “O PSB não estava dentro do meu governo e o Ciro e o Ivo (Gomes) não viviam falando mal de mim?”.
Apesar do desejo de Luizianne de ver o PT confrontando um candidato de Cid , o que deve falar mais alto nas articulações locais é a garantia de um palaque forte para Dilma, que passaria pela manutenção da aliança com o governador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário