quarta-feira, 24 de abril de 2013

Por Marina Silva, senador Simon critica duramente o PT e a presidente Dilma


Peemedebista disparou contra projeto de lei que impede criação de novo partido



Em discurso na tarde desta quarta-feira (24), no Senado, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) classificou como “pacote de abril” da presidente da República Dilma Rousseff, o projeto de lei aprovado na Câmara e em discussão no Senado “em regime de urgência” que, praticamente, restringe a criação do partido da ex-senadora Marina Silva, o Rede de Sustentabilidade. 
"Dilma começa a perder a credibilidade, aparecendo como política vulgar ao tentar impedir que Marina crie partido, enquanto o PT esquece sua história e se submete ao Palácio" afirmou Simon durante discurso. 
De acordo com o texto, parlamentares que ingressarem em novos partidos não levarão junto o tempo de rádio e TV e os recursos proporcionais que detinham em suas siglas de origem. A nova norma é considerada casuísmo por Simon, porque atinge principalmente o partido que Marina Silva tenta criar, Rede de Sustentabilidade. “Há pouco tempo foi permitida a criação do partido de Kassab, porque vinha apoiar o governo e agora mudam-se as regras para tirar marina do jogo eleitoral”, desabafa Simon.
No púpito, Simon apelou aos senadores do PT para que não se submetam às pressões dos parlamentares de demais partidos. "Dilma nunca fez política, e olha só o ministério. Quem ali pode servir de conselheiro?", questionou Simon, antes de emendar: "Pacote de abril de Dilma pode ser o início de uma escalada, pois acostuma mal. O Senado vai votar o pacote de abril da Dilma e impedir criação democrática do partido da Marina".
O senador continuou ainda uma comparação de Dilma com os militares responsáveis pelo golpe militar. "O PMDB e a Arena se desmoralizaram, e o PT  vai para o mesmo caminho. Votei na Dilma e o pragmatismo venceu. A Petrobras desmancha, os juros sobem e a inflação retorna. E Dilma impede criação de partido de Marina. Nunca imaginei essa situação! Dilma começa a perder a credibilidade, aparecendo como política vulgar ao tentar impedir que Marina crie partido. Governo e Dilma aceitaram PSD, partido criado por Kassab para apoiar o governo. Agora, impedem o partido de Marina", disparou.  
Simon referiu-se ainda aos Anos de Chumbo, quando o general Ernesto Geisel fechou o Congresso: "O PT caminha na direção da implosão, pois credibilidade do partido e de Dilma se ligam às práticas da antiga Arena, partido da ditadura. Normas que impedem Marina de criar a Rede, são "pacote de abril". 

Nenhum comentário:

Postar um comentário