quarta-feira, 13 de março de 2019

Atirador invade escola e atira contra alunos em Suzano

Tiroteio teria ocorrido dentro da Escola Estadual Prof. Raul Brasil, em Suzano (SP)




SÃO PAULO - Ao menos duas pessoas morreram e outras 7 ficaram feridas durante tiroteio dentro da Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, durante a manhã desta quarta-feira, 13.  O número de vítimas ainda não foi confirmado, tampouco a identidade da vítima fatal.
O tiroteio aconteceu pouco depois das 9h10.  As primeiras informações apontam que um ex-aluno teria invadido a escola. Depois, atirou contra pessoas.
O atentado causou caos e pânico. Estudantes  saíram correndo e se abrigaram em lojas próximas.

terça-feira, 12 de março de 2019

Pesquisa: cearenses aprovam Governos de Bolsonaro e Camilo Santana





Um levantamento divulgado nesta terça-feira (12) pelo Instituto Paraná Pesquisas mostra que o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) é aprovado por 51,2% dos cearenses. Os que desaprovam somam 41,4%. Já 7,4% dos cearenses não sabem ou não opinaram. O Paraná Pesquisas ouviu 1.540 pessoas em 56 municípios do Estado, entre os dias 07 e 11 de março. O nível de confiança é de 95%.  Governo do Estado  A pesquisa também quis saber a opinião dos cearenses sobre a administração do governador Camilo Santana (PT). Ele tem a aprovação de 73,3% dos cearenses. De acordo com o levantamento, o petista é reprovado por 22,4% dos entrevistados, enquanto 4,4% não souberam opinar. Também foram ouvidos 1.540 pessoas.

Ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda morre no Rio de Janeiro

UOL


Pedro Ivo Almeida
Do UOL, no Rio de Janeiro
12/03/2019 13h00
O ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda, morreu no início da tarde de hoje no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada ao UOL Esporte por um dos filhos do cartola cruzmaltino. Eurico havia dado entrada horas antes no hospital Vitória, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, com complicações de um tratamento contra o câncer no cérebro. Considerado o dirigente mais icônico da história do clube, ele tinha 74 anos.
Eurico Miranda estava em estado grave e não conseguia mais se alimentar nos últimos dias. Após encarar um câncer na bexiga e no pulmão nos últimos anos, Eurico lidava com um tumor no cérebro desde 2018. O tratamento envolveu radiocirurgia e causou também um derrame, que piorou consideravelmente a sua saúde.
As últimas aparições de Eurico foram em cadeira de rodas e com dificuldade para falar. Com a parte motora afetada, ele ficou com a aparência fragilizada e foi internado algumas vezes nos últimos meses. Hoje, porém, não resistiu. 
Uma espécie de UTI havia sido montada pelos familiares na residência do cartola. Ele recebia atenção 24 horas de enfermeiros e superou diversos obstáculos na saúde até falecer hoje.
Os amigos mais próximos, inclusive, sempre disseram que a saúde de Eurico Miranda se regulava pelo momento político no Vasco. Se estava no comando, as coisas melhoravam. Se sofria derrotas internas, a fragilidade aumentava, o que se constatou recentemente com a piora gradativa.

Euricio Miranda foi presidente do Vasco em dois períodos: 2003 a 2008 e 2015 a 2017. Ele também foi vice-presidente de futebol entre 1990 e 2002. As maiores conquistas da história do clube contaram com a sua presença. Entre elas: Campeonato Brasileiro (1997), Copa Libertadores (1998), Campeonato Brasileiro e Copa Mercosul (2000).

90% dos agricultores não se aposentam com nova Previdência, diz Contag


Resultado de imagem para APOSENTADORIA RURAL
O vice-presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Contag), Alberto Broch, afirmou que as novas regras previdenciárias propostas pelo governo federal na PEC 6/2019 podem excluir 90% dos agricultores familiares da aposentadoria. As principais críticas são quanto à mudança na idade mínima para as mulheres, ao aumento do período de contribuição (de 15 para 20 anos) e ao estabelecimento de um valor mínimo de contribuição por parte dos pequenos produtores, de R$ 600 por ano. As condições mais rígidas devem expulsar pessoas da atividade e do campo e comprometer até a segurança alimentar do país, segundo Broch.
De acordo com a entidade, apenas 5% dos agricultores familiares estão inscritos no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), que o governo pretende usar para conceder as aposentadorias com a aprovação da reforma. O baixo índice justificaria a estimativa negativa de acesso aos benefícios daqui para frente.
“Isso vai excluir mais de 90% da agricultura familiar brasileira, terá um impacto muito grande no país. Não só para os agricultores. Terá impacto para os municípios, inclusive na desestabilização do campo. A Previdência Social rural é um grande estímulo para as pessoas permanecerem no campo, produzindo alimentos, para sua autossustentação, segurança e soberania alimentar. O fato de mudar essas regras poderá criar uma desestabilização, um desestímulo grande dos agricultores permanecerem no campo, saírem do campo para a cidade. Gerará mais pobreza, mais êxodo rural e poderá comprometer a segurança e a soberania alimentar”, destacou.
A Contag afirma que é preciso aperfeiçoar os mecanismos da Previdência para que os agricultores possam comprovar a atividade, e defende que a contribuição deve ser por meio da venda da produção. “Nós não podemos aumentar a carência, nem sair da contribuição pela venda da produção por boletos bancário ou pagamento em dinheiro. Isso será impossível, porque o agricultor não tem salário”, apontou.
Alberto Broch também afirmou ao Canal Rural que a Contag quer a manutenção da idade mínima de 55 anos para a aposentadoria das mulheres do campo. “Se uma das reformas é fazer as pessoas trabalharem mais tempo, as mulheres já começam a trabalhar com 5 anos, 6 anos de idade. Quem conhece o campo sabe disso. O fato de aposentarem com 55 anos é porque as mulheres têm dupla, tripla jornada de trabalho. É cumprir uma visão de que os agricultores precisam trabalhar mais de 40 anos para se aposentar. Eles já estão fazendo isso”.

Professores do Ceará anunciam paralisação geral contra a reforma da Previdência de Bolsonaro




A oposição à proposta de reforma da Previdência do governo de Jair Bolsonaro não vai ficar só no âmbito dos partidos de esquerda, mas também entre categorias.
Os professores das redes estadual e dos municípios cearenses, por exemplo, vão realizar um Dia D contra a matéria, informa o presidente do Sindicato Apeoc, Anízio Melo, que, no último fim de semana, foi reeleito, em assembleia geral realizada na sede sindical, para mais quatro anos à frente dessa entidade.
“Nos vamos oficiar ao Estado e a todas as secretarias municipais da Educação que vamos paralisar no próximo dia 22 contra essa proposta de ‘Nova Previdência’ que não passa de retrocesso”, afirma Anízio. Para ele, a proposta de reforma só virá atender aos interesses do sistema financeiro de olho nos lucros que podem obter com oferta de fundos de aposentadoria.
Essa paralisação, segundo o dirigente da Apeoc, terá caráter nacional, pois também será puxada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em educação (CNTE).
O protesto começa, bom destacar, por área que tem à frente o polêmico ministro Ricardo Vélez, considerado pela categoria o que há de pior do conservadorismo da sala de aula dos bolsonaristas.
(Foto – Arquivo)

segunda-feira, 11 de março de 2019

Após publicação de Bolsonaro, jornal reage e diz que presidente divulgou relato deturpado

As alegações foram feitas com base nos áudios divulgados pelo site Terça Livre. (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse na noite desse domingo, 11, em sua conta pessoal no Twitter, que a jornalista Constança Rezende, do jornal O Estado de São Paulo, quer "arruinar a vida de Flávio Bolsonaro e buscar o impeachment do presidente".
As alegações foram feitas com base em áudios divulgados pelo site Terça Livre, que, segundo o portal, foram publicados originalmente no blog do jornalista francês Jawad Rhalib.
Constança Rezende, do "O Estado de SP" diz querer arruinar a vida de Flávio Bolsonaro e buscar o Impeachment do Presidente Jair Bolsonaro. Ela é filha de Chico Otavio, profissional do "O Globo". Querem derrubar o Governo, com chantagens, desinformações e vazamentos.
30.8K people are talking about this
No Twitter, o presidente ainda afirma: "Querem derrubar o governo com chantagens, desinformações e vazamentos". Três horas após o primeiro tweet, Bolsonaro divulgou uma entrevista do ator americano Denzel Washington e disse: "Se não ler as notícias é desinformado... se as ler ficará mal informado".
O Estado de São Paulo negou que a jornalista Constança Rezende tenha dialogado com o francês citado pelo Terça Livre. A conversa, segundo o Estado, seria o resultado de alguns trechos de uma entrevista dada a um suposto estudante americano que se apresentou como Alex MacAllister. Ele estaria interessado em fazer um estudo comparativo entre Donald Trump e Jair Bolsonaro.
Estadão afirmou que a conversa, em inglês, tem "frases truncadas e com pausas" e que o site Terça Livre atribui falsamente à jornalista a declaração: "a intenção de arruinar Flávio Bolsonaro e o governo".

REDAÇÃO O POVO ONLIN

OAB-CE vai entrar com ação civil pública contra aumento da tarifa de água

Em sessão extraordinária, o Conselho da OAB-CE aprovou por unanimidade o ingresso da ordem contra a revisão tarifária da Cagece
A seccional cearense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE) definiu na tarde desta segunda-feira, 11, que entrará com ação judicial contra o reajuste da tarifa de água no Estado. A medida havia sido aprovada em janeiro pela Agência Reguladora do Ceará (Arce), que autorizou a Companhia de Água e Esgoto do Estado do Ceará (Cagece) a aumentar a tarifa em 15,86%.
Em sessão extraordinária, o Conselho da OAB-CE aprovou por unanimidade o ingresso da ordem contra a revisão tarifária da Cagece. Presidente da comissão de Defesa do Consumidor da OAB-CE, Thiago Fujita disse que “liminarmente” será solicitado para companhia “deixar de aplicar o aumento”.
“Estamos pedindo a nulidade do processo administrativo que concedeu o aumento da tarifa da Cagece. Estamos pedindo que não seja aplicado nenhum tipo de aumento em relação às tarifas de água e esgoto”, informou Fujita.
O presidente da ordem no Estado, Erinaldo Dantas, parafraseou um dos conselheiros da OAB-CE e declarou: “Ficou claro que não houve clareza nesse aumento”. Segundo ele, a expectativa é de dialogar com o poder judiciário para que a liminar de suspensão do reajuste seja deferido.
De acordo com ele, a ação civil pública abarcará todo o Ceará e não apenas Fortaleza. “Todo o Estado será beneficiado caso seja deferido a liminar nesse sentido (de suspender o aumento)”, alinhou.
Cagece comunicou que reajuste deverá passar a valer a partir do dia 24 deste mês. “Cabe lembrar que a companhia presta serviços que demandam altos custos de energia, de material de tratamento e de outros insumos e atividades necessárias para a distribuição de água tratada e para a realização das etapas do esgotamento sanitário”, justificou a empresa de saneamento básico.
Questionada pelo O POVO Online sobre o aumento da tarifa acima da inflação de 2018 (2,9%), a Cagece  complementou: “Esses custos não variam de acordo com um índice inflacionário, havendo outros fatores econômicos e climáticos, como a seca, que impactam a receita necessária para a prestação dos serviços de forma equilibrada nos 152 municípios em que atua”.
Autorizando o reajuste no último dia 31 de janeiro, a Arce informou que vai esperar ser procurada pela OAB-CE para então se posicionar quanto ao pedido de suspensão do reajuste.